• Youtube
  • Flickr
  • Linkedin
  • Notícias
  • Vídeos

Peitoris e Capeamentos Pré-fabricados ULMA

Linha de produtos

Pré-fabricados à medida em betão polímero

Oferecemos soluções à medida para satisfazer projectos diferenciados e particulares, tanto em obra nova como em reabilitação. Resolvemos com agilidade soluções inovadoras e ajustadas a cada necessidade, apoiando-nos na experiência do nosso departamento técnico de produto.

O nosso objectivo é conseguir um acabamento estético personalizado, para satisfazer projectos diferenciados e particulares. "Oferecemos o que o cliente necessita, com os recursos necessários e no tempo adequado".

Peitoris e Capeamentos ULMA

A linha de pré-fabricados arquitectónicos concebe, fabrica e comercializa peças para ser incorporadas como remate em qualquer projecto de construção. A sua ampla gama de produtos oferece resultados de resistência e impermeabilidade muito superiores à dos outros materiais.

Além disso, apresentam uns acabamentos estéticos de qualidade, personalizando o resultado final de cada projecto. As nossas peças proporcionam um elevado rendimento de colocação em obra, graças à sua fácil instalação e manipulação devido à sua leveza.

 

Definição Suportes industriais

O rodapé é uma peça pré-fabricada de revestimento que se coloca perimetralmente sobre a parede e confinante com o solo, cujo objectivo é a protecção higiénica e contra golpes.


Os rodapés da ULMA protegem a parede, impermeabilizam e arredondam a união da parede com o solo. São higiénicos e apropriados para a indústria alimentar adaptados à norma HACCP.(Hazard Analysis and Crtitcal Control Points).


Conseguem eliminar qualquer junta entre o solo e a parede minimizando a acumulação de alimentos. Desta forma evita-se o crescimento bacteriano, fazendo a limpeza desta zona mais rápida e simples.

Rodapés industriais

Suportes industriais Modelos

Contamos com 11 modelos, que variam em tamanho e nível de protecção e disponíveis em duas concepções: de meia-cana e com entalhe.
  • Desenho de meia-cana: Na sua parte visível mais baixa forma um ângulo de meia-cana entre a parede e o solo, para cumprir as normas CE.
  • Com entalhe: Contam com um entalhe de 10 ou 15 mm para poder instalá-los por cima de uma meia-cana ká existente no revestimento do solo
  • UZ1-10S zócalos industriales UZ1 UZ1-10S
  • C Largura de Apoio: 10cm.
    D Largura Total: 2,8cm.
    Comprimento Estândar: 100cm.
  • Ficha
  • UZ2-16S zócalos industriales UZ2 UZ2-16S
  • C Largura de Apoio: 16cm.
    D Largura Total: 10cm.
    Comprimento Estândar: 50-100cm.
  • Ficha
  • UZ2-20S zócalos industriales UZ2 UZ2-20S
  • C Largura de Apoio: 20cm.
    D Largura Total: 5,3cm.
    Comprimento Estândar: 50-100cm.
  • Ficha
  • UZ2-30S zócalos industriales UZ2 UZ2-30S
  • C Largura de Apoio: 30cm.
    D Largura Total: 7,4-7,5cm.
    Comprimento Estândar: 50-100cm.
  • Ficha
  • UZ2-30N zócalos industriales UZ2 UZ2-30N
  • C Largura de Apoio: 30cm.
    D Largura Total: 4,5cm.
    Comprimento Estândar: 50-100cm.
  • Ficha
  • UZ3-30N zócalos industriales UZ3 UZ3-30N
  • C Largura de Apoio: 30cm.
    D Largura Total: 9cm.
    Comprimento Estândar: 50-100cm.
  • Ficha
  • UZ3-30ST zócalos industriales UZ3 UZ3-30ST
  • C Largura de Apoio: 30cm.
    D Largura Total: 10cm.
    Comprimento Estândar: 50-100cm.
  • Ficha
  • UZ3-40S zócalos industriales UZ3 UZ3-40S
  • C Largura de Apoio: 40cm.
    D Largura Total: 11,5cm.
    Comprimento Estândar: 50-100cm.
  • Ficha
  • UZ3-40N zócalos industriales UZ3 UZ3-40N
  • C Largura de Apoio: 40cm.
    D Largura Total: 9cm.
    Comprimento Estândar: 50-100cm.
  • Ficha
  • UZ3-50N zócalos industriales UZ3 UZ3-50N
  • C Largura de Apoio: 50cm.
    D Largura Total: 9cm.
    Comprimento Estândar: 50-100cm.
  • Ficha
  • UZ4-30S zócalos industriales UZ4 UZ4-30S
  • C Largura de Apoio: 30cm.
    D Largura Total: 17,5cm.
    Comprimento Estândar: 50-100cm.
  • Ficha
 
Zócalos Industriales Modelos
Seleccione o seu em função do
Nível de Protecção que necessite, altura e concepção.
 

Suportes industriais Nível de protecção

Na indústria alimentar e farmacêutica a qualidade e higiene são de vital importância. As condições de trabalho duras (tráfego denso, ritmo de trabalho intenso, humidade no solo) aceleram a deterioração de paredes e corredores,

pelo que os rodapés ULMA são a protecção perfeita contra carros, porta-paletes e empilhadores. Dispomos de 4 níveis de protecção que diferenciamos a seguir:

  • UZ1 Protecção sanitária nos armazéns, câmaras refrigeradas, supermercados. Ambientes onde não se utilizem nem carros, nem porta-paletes.
    • UZ1 - 10S
  • UZ2 Protecção de paredes contra carrinhos, porta-paletes, porta-paletes eléctricos nos armazéns, câmaras refrigeradas, laboratórios, armazéns, áreas de produção.
    • UZ2 - 16S
    • UZ2 - 20S
    • UZ2 - 30S
    • UZ2 - 30N
  • UZ3 Protecção de paredes apaineladas contra empilhadores em armazéns, câmaras refrigeradas, armazéns, áreas de produção, cais de carga, etc.
    • UZ3 - 30N
    • UZ3 - 30ST
    • UZ3 - 40S
    • UZ3 - 40N
    • UZ3 - 50N
  • UZ4 Protecção de paredes apaineladas contra empilhadores de grande tonelagem em armazéns, câmaras refrigeradas, armazéns, áreas de produção, cais de carga, etc.
    • UZ4 - 30S

Suportes industriais Vantagens

  • Instalação rápida e consistente Instalação rápida e consistente

  • Reparável e substituível Reparável e substituível

  • Manutenção mínima Manutenção mínima

  • Anticorrosivo Anticorrosivo

  • Alta durabilidade Alta durabilidade

  • Antibacteriano Antibacteriano

  • Termo-resistente Termo-resistente

  • Resistente aos golpes Resistente aos golpes

  • Impermeável Impermeável

  • Adaptado para a indústria alimentar (norma HACCP) Adaptado para a indústria alimentar (norma HACCP)

Suportes industriais Conselhos

Cantos

Para a colocação das peças nos cantos utilizam-se as peças de remate directamente, colocando as suas frente a frente criando um ângulo de 90º do canto.

Esquinas

Para a execução das esquinas utilizam-se as peças de remate. Estas são fornecidas com um corte de 45º.

 
 

Peitoris pré-fabricados em betão polímero

Os peitoris da ULMA Architectural Solutions são as peças destinadas a evacuar a água da chuva nos vãos da janela. Ideal para qualquer tipo de construção, tanto pela sua facilidade de colocação como pela sua estética.
  • Em linha reta vierteaguas L
  • A Largura de Apoio: 12-51cm.
    B Largura Total: 14,5-53,5cm.
    Comprimento Máximo: 150-260cm.
  • PDF Ficha
  • Em esquadria vierteaguas L
  • A Largura de Apoio: 12-51cm.
    B Largura Total: 14,5-53,5cm.
    C,D Estândar: 50-53,5cm.
  • PDF Ficha
  • Curvada vierteaguas L
  • A Largura de Apoio: 12-51cm.
    B Largura Total: 14,5-53,5cm.
    L Estândar: 50-130cm.
  • PDF Ficha
  • Em linha reta vierteaguas LH
  • A Largura de Apoio: 12-46cm.
    B Largura Total: 14,5-48,5cm.
    Comprimento Máximo: 260cm.
  • PDF Ficha
  • Em linha reta vierteaguas H
  • A Largura de Apoio: 12-46cm.
    B Largura Total: 14,5-48,5cm.
    Comprimento Máximo: 260cm.
  • PDF Ficha
  • Em esquadria vierteaguas H
  • A Largura de Apoio: 12-46cm.
    B Largura Total: 14,5-48,5cm.
    C,D Estândar: 50cm.
  • PDF Ficha
  • Curvada vierteaguas H
  • A Largura de Apoio: 12-46cm.
    B Largura Total: 14,5-48,5cm.
    L Estândar: 100-130cm.
  • PDF Ficha
  • Em linha reta vierteaguas T
  • A Largura de Apoio: 31-46cm.
    B Largura Total: 34,5-49,5cm.
    Comprimento Máximo: 260cm.
  • PDF Ficha
  • Em esquadria vierteaguas T
  • A Largura de Apoio: 31-46cm.
    B Largura Total: 34,5-49,5cm.
    C,D Estândar: 50cm.
  • PDF Ficha
  • Curvada vierteaguas T
  • A Largura de Apoio: 31-46cm.
    B Largura Total: 34,5-49,5cm.
    L Estândar: 100-130cm.
  • PDF Ficha
  • Em linha reta vierteaguas Y
  • A Largura de Apoio: 18-28cm.
    B Largura Total: 20,5-30,5cm.
    Comprimento Máximo: 170cm.
  • PDF Ficha
 

Capeamentos pré-fabricados em betão polímero

As peças de capeamento da ULMA Architectural Solutions são para rematar o coroamento de um muro que têm por objectivo que as águas pluviais resvalem pelo paramento e evitar que penetrem no mesmo.
  • Leilão albardillas MA
  • A Largura de Apoio: 12-40cm.
    B Largura Total: 17-47cm.
    Comprimento Estândar: 50-75cm.
  • PDF Ficha
  • Em linha reta albardillas MA
  • A Largura de Apoio: 12-40cm.
    B Largura Total: 17-47cm.
    Comprimento Estândar: 100-147cm.
  • PDF Ficha
  • Em esquadria albardillas MA
  • A Largura de Apoio: 12-40cm.
    B Largura Total: 17-47cm.
    C,D Estândar: 50cm.
  • PDF Ficha
  • Curvada albardillas MA
  • A Largura de Apoio: 12-40cm.
    B Largura Total: 17-47cm.
    L Estândar: 100-130cm.
  • PDF Ficha
  • Leilão albardillas MB
  • A Largura de Apoio: 12-40cm.
    B Largura Total: 17-45cm.
    Comprimento Estândar: 130cm.
  • PDF Ficha
  • Em linha reta albardillas MB
  • A Largura de Apoio: 12-40cm.
    B Largura Total: 17-45cm.
    Comprimento Estândar: 130cm.
  • PDF Ficha
  • Em esquadria albardillas MB
  • A Largura de Apoio: 12-40cm.
    B Largura Total: 17-45cm.
    C,D Estândar: 50cm.
  • PDF Ficha
  • Curvada albardillas MB
  • A Largura de Apoio: 12-40cm.
    B Largura Total: 17-45cm.
    L Estândar: 100-130cm.
  • PDF Ficha
  • Leilão albardillas MJ
  • A Largura de Apoio: 12,5-40cm.
    B Largura Total: 17,5-45cm.
    Comprimento Estândar: 130cm.
  • PDF Ficha
  • Em linha reta albardillas MJ
  • A Largura de Apoio: 12,5-40cm.
    B Largura Total: 17,5-45cm.
    Comprimento Estândar: 130cm.
  • PDF Ficha
  • Em esquadria albardillas MJ
  • A Largura de Apoio: 12,5-40cm.
    B Largura Total: 17,5-45cm.
    C,D Estândar: 50cm.
  • PDF Ficha
  • Curvada albardillas MJ
  • A Largura de Apoio: 12,5-40cm.
    B Largura Total: 17,5-45cm.
    L Estândar: 100-130cm.
  • PDF Ficha
  • Leilão albardillas MO
  • A Largura de Apoio: 12-40cm.
    B Largura Total: 17-45cm.
    Comprimento Estândar: 130cm.
  • PDF Ficha
  • Em linha reta albardillas MO
  • A Largura de Apoio: 12-40cm.
    B Largura Total: 10,9-45cm.
    Comprimento Estândar: 130cm.
  • PDF Ficha
  • Em esquadria albardillas MO
  • A Largura de Apoio: 12-40cm.
    B Largura Total: 17-45cm.
    C,D Estândar: 50cm.
  • PDF Ficha
  • Curvada albardillas MO
  • A Largura de Apoio: 12-40cm.
    B Largura Total: 17-45cm.
    L Estândar: 100-130cm.
  • PDF Ficha
 

Frentes de Esforçado pré-fabricados em betão polímero

A frente de esforçados são peças pré-fabricadas de betão polímero que cobrem a parte frontal da estrutura do piso de cada andar num edifício, com a finalidade de evitar infiltrações de água.
  • frentes de forjado FF
  • A Largura Peça: 21-36cm.
    Largura Laje: 15-30cm.
    Comprimento: 130cm.
  • PDF Ficha
  • frentes de forjado FFL
  • A Largura Peça: 21-36cm.
    Largura Laje: 15-30cm.
    Comprimento: 130cm.
  • PDF Ficha
  • frentes de forjado FB
  • A Mín: 10cm.
    A Máx: 20cm.
    B Mín: 37-111cm.
    B Máx: 50-125cm.
  • PDF Ficha
 

Remates de varanda em betão polímero

O remate de varanda é uma peça pré-fabricada de Betão Polímero, que se coloca como término do pavimento da varanda no seu encontro com a fachada ou na frente da varanda.
  • remates de balcón RBL
  • A Largura de Apoio: 16-20cm.
    B Largura Total: 18,5-22,5cm.
    Comprimento Máximo: 260cm.
  • PDF Ficha
  • remates de balcón RBY
  • A Largura de Apoio: 16-20cm.
    B Largura Total: 18,5-22,5cm.
    Comprimento Estândar: 100cm.
  • PDF Ficha
 

Suportes standard em betão polímero

Peça de remate de pavimento em Betão Polímero. A peça apresenta um desenho arredondado para os encontros de pavimento e divisões interiores. A face posterior apresenta cascalho e ancoragens metálicos de aço inoxidável para a colocação e aderência da peça (ver procedimento de colocação).
  • zócalos estándar Z
  • C Altura: 10-50cm.
    D Espessura: 2-2,5cm.
    Comprimento Estândar: 130cm.
  • PDF Ficha
  • zócalos estándar Z45
  • A Altura: 4,5cm.
    B Espessura: 4,5cm.
    Comprimento Estândar: 130cm.
  • PDF Ficha
 

Impostas pré-fabricadas em betão polímero

Peça de Betão Polímero que, além de funcionar como peitoril, desempenha uma função estética de dar continuidade à linha da peitoril e do lintel entre uma janela e outra. Apresenta algeroz inferior. As peças são totalmente manejáveis devido à sua leveza e são fabricadas com a medida standard de 1.300 mm. A base da imposta apresenta gravilha e ancoragens metálicas de aço inoxidável, que melhoram e garantem a colocação da peça na obra (veja procedimentos de colocação na obra).
  • impostas L
  • A Largura de Apoio: 6cm.
    B Largura Total: 8,5cm.
    Comprimento Estândar: 130cm.
  • PDF Ficha
  • impostas T
  • A Largura de Apoio: 8,5cm.
    B Largura Total: 12cm.
    Comprimento Estândar: 130cm.
  • PDF Ficha
  • impostas H
  • A Largura de Apoio: 6cm.
    B Largura Total: 8,5cm.
    Comprimento Estândar: 130cm.
  • PDF Ficha
  • impostas DC
  • A Largura de Apoio: 8cm.
    B Largura Total: 8cm.
    Comprimento Estândar: 260cm.
  • PDF Ficha
 
 
Informação Técnica
 

Cores Pré-fabricadas em betão polímero

Dispomos de 3 cores no nosso catálogo.

  • C-1 Código: C-1
    Descrição: BRANCO
  • C-38 Código: C-38
    Descrição: CINZA
  • C-92 Código: C-92
    Descrição: ARENISCA
  1. 1. As cores mostradas neste documento são tintas impressas.
  2. 2. Pode haver diferenças entre estas e as cores reais.
  3. 3. Pedir amostra para evitar confusões.
  4. 4. Nas cores ULMA escuras e muito pigmentadas pode dar-se o caso de perda de intensidade das mesmas por exposição intensa ao sol e intempérie.

CTE - Código Técnico da Edificação

CTE

Na ULMA Architectural Solutions estamos comprometidos com o cumprimento do Código Técnico da Edificação. Por isso, desenvolvemos novos modelos de capeamentos: MACT y MBCT, em larguras de 14, 25 e 30 cm.

As características necessárias com que os nossos capeamentos contam para cumprir com a Norma são:

  • Ter uma inclinação de 10º. Conseguido graças à sua nova concepção.
  • Dispor de goteiras na sua parte inferior para que escoe a água. Todos os nossos capeamentos contam com esta característica.
  • Além disso, é importante, na hora de os colocar, que estejam separados dos paramentos correspondentes do parapeito pelo menos 2 cm.
  • Devem ser impermeáveis. O material em que são feitas torna possível esta característica. O betão polímero tem um nível de absorção de água praticamente nulo.
  • Devem dispor-se juntas de dilatação entre cada uma das peças quando forem capeamentos pré-fabricados, como é o caso.
  • As juntas entre os capeamentos devem realizar-se de tal maneira que sejam impermeáveis com uma vedação adequada. É importante prestar a atenção às instruções de colocação.

As Equipas Técnicas de I+D de ULMA trabalham para desenvolver os produtos procurados pelo mercado e estar sempre atentos às necessidades de nossos clientes.

Certificados de Qualidade do betão polímero

Os Pré-fabricados para construção da ULMA Architectural Solutions, graças à sua estudada composição de areias de silício seleccionadas e resina de poliéster estável, consegue obter uma excelentes características físico-mecânicas, tal como o comprovam os Certificados de Qualidade emitidos por esta prestigiosa Entidade.

logos

 
QUADRO RESUMO DAS PROPRIEDADES DO CONCRETO POLÍMERO ULMA
PRODUTOS ANALISADO: CONCRETO POLÍMERO PARA PRÉ-FABRICADOS ARQUITETÓNICOS
ENSAIO NORMA VALOR
Pedra aglomerada. Métodos de ensaio.
Parte 2: Determinação da resistencia a flexão.
EN 14617-2 > 18 MPa
Piedra aglomerada. Métodos de ensayo.
Parte 15: Determinación de la resistencia a compresión.
EN 14617-15 > 80 MPa
Piedra aglomerada. Métodos de ensayo.
Parte 4: Determinación de la resistencia a la abrasión.
EN 14617-4 < 40 mm
Pedra aglomerada. Métodos de ensaio.
Parte 1: Determinação da densidade aparente a absorção de água.
EN 14617-1 < 0.3 %
Pedra aglomerada. Métodos de ensaio.
Parte 1: Determinação da densidade aparente a absorção de água.
EN 14617-1 ≈ 2.1 g/cm3
Coeficiente de dilatação térmica linear - ≈ 2.15-10-5 ºC-1
Pedra aglomerada. Métodos de ensaio.
Parte 6: Determinação do coeficiente térmico.
EN 14617-6 > 90%
Pedra aglomerada. Métodos de ensaio.
Parte 5: Determinação da resistência ao gelo e desgelo.
EN 14617-5 > 90%
Piedra aglomerada. Métodos de ensayo.
Parte 10: Determinación de la resistencia química.
EN 14617-10 C4

Os valores indicados são valores medios obtidos em ensaios de laboratorios credenciados. São valores indicativos e não vinculados.

Perguntas frequentes FAQ

  1. 1. Por que o betão polímero é ideal para uso em construção, tanto nova como em reabilitação?
    1. a. Porque é impermeável e por isso garante a estanquidade.
    2. b. Porque é muito resistente e possui uma grande durabilidade.
    3. c. Porque é moldável e por isso podem-se fazer todos os tipos de formas e tamanhos.
    4. d. Porque é leve e permite melhores rendimentos em obra.
  2. 2. Como se comporta o betão polímero perante a carbonatação?
    1. a. O betão polímero não apresenta a típica patologia de carbonatação, em que as armaduras interiores se oxidam e rebentam o betão, em primeiro lugar porque é um betão não poroso e, em segundo lugar, porque nunca é armado interiormente, por o não necessitar, devido à sua dureza e resistência.
  3. 3. Como a poluição afecta o betão polímero?
    1. a. O betão polímero oferece uma resistência muito elevada aos produtos químicos e aos diferentes agentes externos e, por isso, as suas propriedades físicas não são afectadas pela poluição.
  4. 4. As geadas fortes podem quebrar o betão polímero?
    1. a. Não. O betão polímero é um betão não poroso e, por isso, não possibilita a entrada de água que se possa expandir-se ao gelar-se e chegar a rebentar ou quebrá-lo.
  5. 5. É complicada uma instalação correcta do betão polímero?
    1. a. Não é nada complicada, mas para isso teremos que ter vários aspectos em conta. O betão polímero é composto por areias de silício e resinas de poliéster, por isso, sofre um coeficiente de dilatação superior aos materiais tradicionais de construção. Isto exige um maior cuidado no momento de instalar e escolher os materiais de aderência.
  1. FAQ
  2. 6. O que é preciso ter em conta para uma instalação correcta?
    1. a. Escolha de materiais de aderência adequados. É recomendável sobretudo nos lugares em que haja grandes variações de temperatura, usar argamassas colantes elásticas para garantir uma maior aderência e uma absorção do movimento de dilatação.
    2. b. Uso das ancoragens mecânicas previstas nas peças. Os pré-fabricados de betão polímero são fornecidos com ancoragens mecânicas embutidas em massa para ser introduzidas em argamassa colante de aderência. Isto garante-nos uma boa fixação.
    3. c. Previsão de juntas de dilatação. É imprescindível prever juntas de dilatação de 5 mm entre peças para absorver o movimento entre elas. As juntas terão que ser vedadas com um material adequado para garantir a estanquidade do conjunto.
  3. 7. Que materiais de aderência tem que se utilizar para uma boa instalação?
    1. a. É recomendável a utilização de argamassas colantes elásticos capazes de absorver o movimento produzido pela dilatação-contracção do betão polímero.
  4. 8. Qual é o material adequado para a vedação das juntas?
    1. a. É recomendável a utilização de silicones com elevado módulo de elasticidade, resistência à intempérie e elevada estabilidade aos raios UV para evitar que amareleça.

Instruções de Colocação

Passo a passo

Instruções de Colocação Capeamentos

  • Limpar a zona sobre a qual se vai colocar a peça. 1 Limpar a zona sobre a qual se vai colocar a peça.
  • Proceder à abertura das ancoragens que apresentam as peças na sua parte posterior, introduzindo-os na peitilho ou câmara da zona de colocação. 3 Proceder à abertura das ancoragens que apresentam as peças na sua parte posterior, introduzindo-os na peitilho ou câmara da zona de colocação.
  • Colocar a peça batendo-lhe com um maço, nivelando-a e alinhando-a correctamente. 5 Colocar a peça batendo-lhe com um maço, nivelando-a e alinhando-a correctamente.
  • Apresentar a peça seguinte junto da principal das juntas. Bater com maço, nivelar e alinhar a peça segundo a posição da primeira peça. 7 Apresentar a peça seguinte junto da principal das juntas. Bater com maço, nivelar e alinhar a peça segundo a posição da primeira peça.
  • Proceder à vedação das juntas com um elemento flexível e impermeável tipo Sikaflex PRO 2HP. Repetir a operação sucessivamente. 9 Proceder à selagem das juntas com um elemento flexível e impermeável de alta aderência e módulo de elasticidade. É altamente recomendável que este elemento tenha uma boa resistência aos raios UV para se evitar o amarelecimento e o gretamento.
  • Aplicar uma camada de cimento cola elástico tanto na zona de colocação como na peça. 2 Aplicar uma camada de cimento cola elástico tanto na zona de colocação como na peça.
  • Aplicar o capeamento uma camada de argamassa cola elástica tipo C2S2 (colagem dupla). Certificar-se de que a argamassa cola cobre e rodeia a ancoragem. 4 Aplicar o capeamento uma camada de argamassa cola elástica tipo C2S2 (colagem dupla). Certificar-se de que a argamassa cola cobre e rodeia a ancoragem.
  • Sempre que for necessário colocar mais do que uma peça, apresentar a principal junto da peça colocada, marcando a junta de 5 mm entre as peças. 6 Sempre que for necessário colocar mais do que uma peça, apresentar a principal junto da peça colocada, marcando a junta de 5 mm entre as peças.
  • Limpar a junta existente entre as peças com a própria principal, deslizando-a até o exterior e cuidando que essa junta fique perfeitamente limpa em toda a espessura. 8 Limpar a junta existente entre as peças com a própria principal, deslizando-a até o exterior e cuidando que essa junta fique perfeitamente limpa em toda a espessura.

Passo a passo

Instruções de Colocação Peitoris

  • Picar e retirar o primeiro tijolo de cada parte lateral do vão onde é necessário encastrar o peitoril. 1 Picar e retirar o primeiro tijolo de cada parte lateral do vão onde é necessário encastrar o peitoril.
  • Proceder à abertura das ancoragens que as peças apresentam na sua parte traseira, uma patilha para cada lado. 3 Proceder à abertura das ancoragens que as peças apresentam na sua parte traseira, uma patilha para cada lado.
  • Colocar a peça maceteando-a e deixá-la nivelada e alinhada. 5 Colocar a peça maceteando-a e deixá-la nivelada e alinhada.
  • Sempre que for necessário colocar mais do que uma peça, apresentar a principal junto da peça colocada, marcando a junta de 5 mm entre as peças. 7 Sempre que for necessário colocar mais do que uma peça, apresentar a principal junto da peça colocada, marcando a junta de 5 mm entre as peças.
  • Limpar a junta existente entre as peças com a própria mestra, fazendo com que esta deslize para o exterior e tendo o cuidado de fazer com que tal junta fique bem limpa em toda a espessura. 9 Limpar a junta existente entre as peças com a própria mestra, fazendo com que esta deslize para o exterior e tendo o cuidado de fazer com que tal junta fique bem limpa em toda a espessura.
  • Efectuar uma inclinação de apoio com argamassa muito rica em cimento, para que seja uma superfície resistente na zona sobre a qual se vai colocar a peça. 2 Efectuar uma inclinação de apoio com argamassa muito rica em cimento, para que seja uma superfície resistente na zona sobre a qual se vai colocar a peça.
  • Aplicar o peitoril uma camada de argamassa cola elástica tipo C2S2 (colagem dupla). Certificar-se de que a argamassa cola cobre e rodeia a ancoragem. 4 Aplicar o peitoril uma camada de argamassa cola elástica tipo C2S2 (colagem dupla). Certificar-se de que a argamassa cola cobre e rodeia a ancoragem.
  • Deixar uma junta de pelo menos 5 mm entre a peça e o tijolo nos dois lados. A colocação de duas tiras de Esferovite de aproximadamente 1 cm de espessura pode servir tanto de calibrador como de junta, dado que tem a capacidade de deformação suficiente. 6 Deixar uma junta de pelo menos 5 mm entre a peça e o tijolo nos dois lados. A colocação de duas tiras de Esferovite de aproximadamente 1 cm de espessura pode servir tanto de calibrador como de junta, dado que tem a capacidade de deformação suficiente.
  • Apresentar a peça seguinte junto à mestra de juntas. Macetear, nivelar e alinhar a peça. 8 Apresentar a peça seguinte junto à mestra de juntas. Macetear, nivelar e alinhar a peça.
  • Proceder à selagem das juntas com um elemento flexível e impermeável de alta aderência e módulo de elasticidade. É altamente recomendável que este elemento tenha uma boa resistência aos raios UV para se evitar o amarelecimento e o gretamento. 10 Proceder à selagem das juntas com um elemento flexível e impermeável de alta aderência e módulo de elasticidade. É altamente recomendável que este elemento tenha uma boa resistência aos raios UV para se evitar o amarelecimento e o gretamento.

Passo a passo

Instruções de Colocação Selagem

  • 1 Limpeza da junta, não é válido o uso de um pano molhado, o adequado é a sopragem da junta.

  • 2 Pôr o fundo da junta (cordão de polietileno de diâmetro ligeiramente maior do que a largura da junta a vedar) que limita a profundidade da vedação e evita a aderência do produto de vedação ao fundo da junta. na sua falta, também é válido uma película antiaderente.

  • 3 Aplicar primário nas faces laterais da junta com Sika Primer 215.

  • 4 Aplicar o mástique de poliuretano. (Sikaflex Pro 2 HP ou semelhante)

INFORMAÇÃO IMPORTANTE:
Todos os pedidos são entregues com instruções de colocação, assim como o numero necessário de maestras para a realização das juntas

Modelo DCT

Instruções de Colocação Lintéis

  • Colocar el dintel cargadero sobre la hilada de ladrillo correspondiente, apoyando el mismo sobre la fachada unos 12 cm a cada lado (recomendable). (Ver Fig. 1) 1
    • Colocar el dintel cargadero sobre la hilada de ladrillo correspondiente, apoyando el mismo sobre la fachada unos 12 cm a cada lado (recomendable). (Ver Fig. 1)
    • O lintel apresente umas porcas roscadas de M8 embutidas na massa em 50 a 50 cm.
  • Fijar el dintel al forjado superior o cualquier elemento resistente utilizando unas pletinas de acero inoxidable de forma de L (ver Fig.3). Se atornilla la pletina a las tuercas del dintel y en el otro extremo se atornilla al forjado. 2
    • Fixar o lintel na viga superior ou qualquer elemento resistente utilizando as chapas de aço inoxidável em forma de L (ver Fig. 2). Aparafusa-se a chapa às porcas do lintel e, no outro extremo, aparafusa-se à viga.
    • Recomenda-se a realização desta operação em todas as ancoragens de que o lintel disponha.
      Nota: a chapa deve ter na parte do lintel um orifício de montagem para a possível excentricidade em relação à posição que as ancoragens do lintel apresentem.
 

Modelo DC
Instruções de Colocação de Lintéis Carregadouros

  • Colocar o lintel carregadouro sobre a fiada de tijolo correspondente, apoiando o mesmo sobre a fachada uns 12 cm de cada lado (recomendável) (Ver Fig. 1) 1
    • Colocar o lintel carregadouro sobre a fiada de tijolo correspondente, apoiando o mesmo sobre a fachada uns 12 cm de cada lado (recomendável) (Ver Fig. 1)
    • Colocar uma escora no centro do vão com o objectivo de conseguir um bom nivelamento do mesmo. (ver Fig.2)
    • O lintel apresenta umas ancoragens galvanizadas de 50 cm a 50 cm, com perfurações.
  • Colocar uma escora no centro do vão com o objectivo de conseguir um bom nivelamento do mesmo. 2
    • Fixar a ancoragem do carregadouro à viga superior ou qualquer elemento resistente através de uma cinta metálica ou arame de aço. Esticar a cinta ou torcer o arame até criar uma contraflecha no centro do vão do lintel, o que obrigará à recolocação da escora. (ver Fig.3)
    • Recomenda-se a realização desta operação em todas as ancoragens de que o lintel disponha.
  • O lintel apresenta umas ancoragens galvanizadas de 50 cm a 50 cm, com perfurações. 3
    • Uma vez fixado o lintel, continua-se o procedimento pela fachada acima deste.
    • Uma vez carregado o lintel e decorrido o tempo mínimo necessário para a secagem ou presa dos elementos que intervieram na realização da fachada, procede-se à remoção da escora.

Lintéis com extremidade saliente
Procede-se da mesma forma que nas secções anteriores, mas deve-se ter em conta que na extremidade em que tenhamos a peça saliente, tem que se prever uma ancoragem e/ou fixação da mesma. No caso do lintel não dispor na extremidade de uma ancoragem, esta será criada na obra através de uma bucha de expansão.

Passo a passo

Instruções de colocação de Frentes de Esforçado

  • Preparar uma base que sirva facades as a model. de suporte e alinhamento das frentes a colocar. 1 Preparar uma base que sirva facades as a model. de suporte e alinhamento das frentes a colocar.
  • Cortar as varetas roscadas à medida desejada (têm que entrar no mínimo 5 cm em forjamento com betão saudável). Aparafusar as varetas aos casquilhos fornecidos na parte traseira da frente. 3 Cortar as varetas roscadas à medida desejada (têm que entrar no mínimo 5 cm em forjamento com betão saudável). Aparafusar as varetas aos casquilhos fornecidos na parte traseira da frente.
  • Encher os furos feitos com buchas químicas (isto deverá ser efectuado tendo em conta os tempos de cura das buchas especificados pelo fabricante das mesmas). 5 Encher os furos feitos com buchas químicas (isto deverá ser efectuado tendo em conta os tempos de cura das buchas especificados pelo fabricante das mesmas).
  • Colocar as peças seguintes, alinhando-as bem e prevendo uma junta entre as mesmas de pelo menos 3 mm. 7 Colocar as peças seguintes, alinhando-as bem e prevendo uma junta entre as mesmas de pelo menos 3 mm.
  • Fazer um suporte de posição de ancoragens assumindo como modelo uma das frentes. 2 Fazer um suporte de posição de ancoragens assumindo como modelo uma das frentes.
  • Aplicar uma camada de argamassa cola elástica do tipo C2S2 na parte alta horizontal para encher o apoio da peça. 4 Aplicar uma camada de argamassa cola elástica do tipo C2S2 na parte alta horizontal para encher o apoio da peça.
  • Inserir a peça com as ancoragens e levá-la até à base previamente preparada, deixando-a a prumo, tanto horizontal como verticalmente. 6 Inserir a peça com as ancoragens e levá-la até à base previamente preparada, deixando-a a prumo, tanto horizontal como verticalmente.
  • Selar as juntas com material flexível e de alta aderência para evitar infiltrações de água. É recomendável que tal material apresente um bom comportamento face aos raios UV para se evitar o amarelecimento e o gretamento do mesmo. 8 Selar as juntas com material flexível e de alta aderência para evitar infiltrações de água. É recomendável que tal material apresente um bom comportamento face aos raios UV para se evitar o amarelecimento e o gretamento do mesmo.
 
Vantagens
 

Vantagens Pré-fabricados ULMA

Vantagens canais drenagem ULMA
  • Rede Comercial própria com dedicação exclusiva para oferecer directamente na obra o melhor atendimento personalizado aos nossos clientes.
  • Equipa técnica própria que proporciona assessoria técnica personalizada aos nossos clientes dando soluções individualizadas para cada projecto.
  • Departamento de I+D para o desenvolvimento de novos produtos.
  • Experiência de mais de 20 anos em betão polímero ao serviço das necessidades de nossos clientes.
  • Grande Capacidade produtiva com uma unidade de produção de 12.000 m2 para satisfazer qualquer necessidade dos nossos clientes.
  • Garantia de Qualidade avalizado por certificados de qualidade próprios emitidos por entidades de prestígio.
  • Material leve que facilita a manipulação e a colocação na obra.
  • Material impermeável que evita a necessidade de colocação de lâminas impermeáveis para cumprir as normas do CTE face a outros materiais em que é necessária a sua utilização.
Betão Polímero

Vantagens do betão polímero ULMA

  • Resistência à compressão Resistência à compressão O betão polímero aplicado aos sistemas pré-fabricados chega a suportar até 30,2 MP contra os 7-9 MPa que suporta o betão tradicional antes de romper-se ou ficar com fendas.

  • Resistência aos produtos químicos Resistência aos produtos químicos Está demonstrado que o Betão Polímero é um dos materiais mais resistentes a qualquer tipo de produto químico. E os seus componentes não reagem perante o contacto, evitando a desagregação ou deformação do produto.

  • Inalterável nos ciclos de congelação e degelo. Inalterável nos ciclos de congelação e degelo. O material, ao contrário dos tradicionais, não é afectado pelos ciclos de congelação-degelo, evitando o aparecimento de fissuras ou gretas e mantendo intactas todas as propriedades físicas.

  • Resistente ao choque e à abrasão Resistente ao choque e à abrasão O Betão Polímero, ao ser um material composto, garante a perfeita conservação das superfícies sem percepção de desgaste algum com o uso e a passagem do tempo.

  • Leveza Leveza Graças às suas excelentes propriedades mecânicas, permite a realização de peças com perfil mais fino, o que contribui para a leveza destas. A leveza que se converte em economia ao reduzir a utilização de meios auxiliares de transporte em obra.

  • Desgaste por abrasão Desgaste por abrasão A dureza dos agregados de silício garante uma boa conservação das superfícies expostas ao trânsito rodoviário, devido a uma óptima resistência à abrasão do betão polímero.

  • Possibilidades estéticas e cores Possibilidades estéticas e cores Pela sua fabricação através de moldes, oferece uma grande liberdade para a concepção. Permite adaptar as peças às necessidades de cada projecto e ao critério do arquitecto. A leveza das peças oferece um noco conceito de estéticas arquitectónicas para as fachadas dos edifícios.

  • Ideal para a evacuação de fluidos Ideal para a evacuação de fluidos A natureza polimérica deste material, permite superfícies lisas e de muito baixo atrito nos pré-fabricados, com o que facilita a rápida evacuação dos fluidos, oferecendo, além disso, um índice de absorção de água praticamente nulo, perante 5-10% do betão tradicional.