Como conseguimos uma fachada branca, mas dinâmica: Centro de Saúde em Aiete, Donostia-San Sebastián.

Descubra os elementos que podem ajudar a dar personalidade para o seu projeto de Fachada Ventilada.

Combinar texturas, formatos e as diversas opções de juntas resulta em muitas possibilidades, descubra.

A cor branca é a clareza absoluta, a ausência da escuridão e a soma de todas as cores.

Mas não é simplesmente isto, já que além do que tecnicamente é o branco, fica o impacto que este têm na mente humana. 

Normalmente associamos a cor branca a conceitos como: pureza, paz, limpeza, inocência...é por isto que se utiliza muito na área sanitária, para tranquilizar as pessoas.  

Nisso estamos todos de acordo. Se nos imaginamos num centro de saúde ou num hospital, nos vêm à mente uma imagem de um edifício branco e organizado.

E, embora a lógica nos diga que um centro de saúde deve ser branco, podemos fazê-lo de forma diferente e dar personalidade ao edifício. 

E foi isso que ocorreu no Centro de Saúde de Aiete (Guipúscoa). 

Sim, é um edifício branco, mas com personalidade, vida, movimento e dinamismo.

Contamos aqui como se conseguiu, graças à combinação de vários elementos.

Quais são os elementos que podemos brincar e, os combinando, conseguir a composição estética que buscamos?

  • A textura do painel
  • O formato
  • As juntas

O escritório SATIE Arquitectos, responsável pela sua definição e projeto, soube conjugar estes elementos na fachada ventilada para conseguir o resultado desejado, a imagem de salubridade e transparência que um centro de saúde deve oferecer.

A textura: O dinamismo que a minionda da textura agua nos oferece

Para começar, foi escolhida a textura AGUA brincando com duas orientações diversas, vertical e horizontal. 

Com esta combinação de textura, conseguimos criar visualmente grandes zonas na fachada do edifício, com diferenças sutis de tonalidade. A mesma cor foi escolhida para todos os painéis, o branco M24, mas em função da orientação da onda do painel, o tom escurece dando a sensação de que temos duas cores. Neste caso, a orientação horizontal tende a uma tonalidade mais acinzentada.

As orientações também podem ser diagonais (à direita ou à esquerda).

É importante que o arquiteto conte com uma variedade de acabamentos para escolher, fato que levamos totalmente em consideração.  


O formato de placa facilita conseguir um efeito horizontal.

O formato dos painéis é grande (1800 x 900 mm), e ajuda a conseguir o efeito de linearidade e de horizontalidade que o escritório SATIE buscava para o projeto, embora o sistema de instalação tenha sido o Vertical

As juntas são nossas aliadas para destacar ou dissimular.

Há projetos onde não nos interessa destacar as juntas, e existem outros em que buscamos destacá-las para conseguir um efeito específico. Este é um elemento que se deve levar em consideração para obter uma estética diferente e marcar esse ponto.

Há pouco falávamos de um projeto em que foi utilizada este tipo de junta para dar verticalidade à fachada. 

Assim, tendo combinado a textura, a junta, o formato e o sistema de instalação vertical, conseguiu-se uma fachada moderna, viva e com personalidade.

Neste caso, o que se buscava era dar a sensação de grandes formatos, horizontalidade e linearidade. 

Foram instaladas juntas de 50 mm, que ajudam a marcar esta horizontalidade e a diluir as juntas menores para que passem despercebidas.

As juntas são elementos versáteis, e contamos com opções que vão desde a junta de 3 mm, a mais reduzida do mercado, se o que você está buscando é uma fachada homogênea, limpa e plana.

A junta de 8 mm, pode ser usada quando o objetivo é marcar, diferenciar ou separar por tonalidades.

Também existe a junta de 15 mm, de 20 mm e de 50 mm. Esta opção é para quando se busca demarcar zonas ou definir um estilo, seja de horizontalidade ou verticalidade.

Falamos com Ekain Olaizola, membro da equipe de arquitetos responsáveis pelo projeto, que ressaltou que ”a escolha do material (concreto polímero) permitiu que os volumes do edifício se entendam como unidades concretas, resolvendo a continuidade do revestimento nos cantos e tetos. Este material garante uma grande durabilidade e um mínimo de manutenção, com uma infinidade de formatos e texturas”. Estes são fatores importantes que a direção facultativa costuma colocar em valor e que são possíveis com nosso material.

Além da escolha do sistema de Fachada Ventilada, que é um dos temas mais importantes para que um edifício seja energeticamente eficiente, a equipe facultativa incorporou outros elementos que contribuem para a sustentabilidade, que são:  as lâminas para a proteção solar nas fachadas mais expostas, ou as esquadrias com quebra térmica e vidro triplo, a ventilação cruzada para o controle térmico e a renovação de ar, assim como as instalações eficientes como a aerotermia para alimentar calefação por piso e a recuperação de calor. 

Caso deseje saber mais sobre esta ou outras soluções arquitetônicas, entre em contato.

A equipe da SATIE Arquitectos está muito comprometida com a construção sustentável. Como nos explica Ekain, isto não envolve somente a escolha de sistemas de construção eficientes, mas também que o edifício esteja orientado de uma maneira adequada, que se adapte ao terreno existente, que não projete sombras sobre os edifícios do ambiente, que os materiais utilizados na construção possam ser reciclados, etc. 

Na ULMA, gostamos de poder oferecer diversas alternativas e opções para combinar, porque conseguimos dar a oportunidade para que o arquiteto crie edifícios únicos e diferentes, e isto é possível ao combinar estas opções.

Porque todos somos diferentes e gostamos que nossos projetos reflitam isso.

Downloads

Dossiê de fachadas ventiladas

Dossiê de fachadas ventiladas

Download
Lookbook

Lookbook

Download

Temos uma newsletter de ARQUITETURA que não é como as restantes. Clique no botão e contamos-lhe o que é isto tudo:

De que trata a newsletter de arquitetura?