Entrevista com o arquiteto Adolf Martínez de MSA+A

Este conjunto residencial foi projetado pela equipe de arquitetos MSA+A formada por Adolf Martínez/Josep Lluís Sisternas, com o sistema de fachada ventilada ULMA com placas de betão polímero.
Entrevista com o arquiteto Adolf Martínez de MSA+A

Mais  informações sobre o projeto Plans D’aiguadolç, Sitges, Barcelona.

A dificuldade do projeto estava, por um lado, na combinação dos sistemas de instalação utilizados, o vertical (para a textura Agua-onda) e o horizontal (para a textura Aire-lisa) e, por outro lado, a existência de duas fachadas claramente diferenciadas; os interiores sinuosos e quebrados, e os exteriores curvos, que deviam reproduzir a curvatura e remodelação do projeto e integrar-se com o sistema de balaustradas dos terraços também curvo e arrítmico.

Adolf Martínez nos fala de seu projeto e de sua colaboração com a ULMA:

Além da fachada ventilada, o projeto conta com outros elementos sustentáveis?

Este conjunto de residências, que obteve a certificação BREEAM, foi projetado a partir de critérios de controle passivo próprios do clima mediterrânico: as residências têm ventilação transversal e orientação dupla, as janelas grandes orientadas para sul são protegidas com terraços em cantilever profundos e o fator solar das janelas é controlado com persianas que, em muitos casos, são de lâminas móveis.  Prestamos também atenção especial aos isolamentos, particularmente aos das coberturas. Em relação aos espaços comuns, foram utilizadas espécies vegetais adaptadas à pluviometria local, e se dispôs de um depósito de acumulação de água da chuva, destinada a regar e limpar os espaços comunitários.

O que você destacaria da colaboração com a ULMA neste projeto?

Este não era um projeto simples quanto à geometria da planta dos dois edifícios, que combina rompimentos do alinhamento e desenvolvimentos de curva muito aberta. Como se fosse pouco, o encaixe em fachada dos corpos respectivos aos sótãos endurece extraordinariamente a modulação do conjunto. A colaboração com a ULMA permitiu resolver satisfatoriamente estas dificuldades, a partir de uma remodelagem estrita.

Qual é a sua opinião sobre o nosso material, o betão polímero?

Creio que é um material adequado pelas suas características mecânicas, modulares e de acabamento, à execução de fachadas ventiladas. Mostrou-se resistente aos processos de colocação na obra: corte, transporte e montagem. Os formatos disponíveis se ajustam a composições semelhantes às da pedra natural, e os acabamentos que a ULMA propõe oferecem um leque amplo de combinações. Em Aiguadolç projetamos as fachadas radicalmente brancas, combinando as texturas Agua e Aire. Devo dizer que nos surpreendeu positivamente o jogo de matizes tonais que produz esta combinação de texturas sob o sol de Sitges, contribuindo em grande parte para acentuar os critérios de composição das fachadas.

Como avaliam o nosso serviço Integral, onde abrangemos desde a Assessoria no projeto, a fabricação, o fornecimento e a instalação da fachada?

Se pretendemos avançar para a industrialização da construção, necessitamos de empresas que ofereçam esse serviço integral, que começa com a assessoria técnica em fase de projeto e conclui com a coordenação e o acompanhamento em fase de execução. E inclusive com a atenção aos possíveis problemas de pós-venda. Com a ULMA, a colaboração entre técnicos foi muito fluida ao longo de todo este processo. Estou convencido de que ainda melhoraremos nas próximas — que já estão ocorrendo — colaborações.

MSA+A integra uma equipe formada por profissionais especializados nas diferentes áreas envolvidas no desenvolvimento dos projetos. Pode abordar projetos de edificação, previsão e gestão econômica de obras, desenho e cálculo de estruturas e instalações, assessoria e certificação de sustentabilidade na arquitetura (certificado BREEAM), assim como o estudo e desenvolvimento de figuras de planejamento derivado e de gestão urbanística.

Não perca nada! Receba por e-mail nossas novidades de ARQUITETURA!!